Publicado em 19.02.2018 às 09:10

Estância Velha sai na frente com adesão ao projeto Educação em 1º Lugar

Com uma população de 47 mil habitantes, Estância Velha, no Vale do Sinos, caminha a passos largos na busca da excelência em educação. Movimento que deve ganhar mais tração a partir de agora. Dos 52 municípios mapeados na ação do programa Bicentenário da Imigração Alemã, Estância Velha saiu na frente ao assinar adesão ao projeto Educação em 1º Lugar, iniciativa do Instituto São Leopoldo 2024 e Grupo Sinos com o foco de alcançar ou superar as metas preconizadas pelo Ministério da Educação (MEC).

“Ao lançar um novo olhar à educação, a ação desafia o repensar do ensino e das metodologias para a qualificação do aprendizado. Além disso, significa o enriquecimento do saber e a valorização do legado dos antepassados”, explica a secretária municipal de Educação e Cultura, Marly Arigony. Segundo ela, o projeto surge como um reforço ao trabalho desenvolvido no município e que prioriza três pilares: leitura, pesquisa científica e raciocínio lógico. Ao mesmo tempo, o município investe em formação para professores, material didático e na manutenção em TI nas escolas para consolidar aulas e projetos motivadores aos alunos.

Para a prefeita Ivete Grade, o desafio por conhecimento é constante. “Hoje tudo é tecnológico, diferentes linguagens e uma velocidade extrema de informações. Inovações que testam e instigam nossa capacidade de ousar. Por isso, precisamos estar atentos e acompanhar as novas gerações para a construção de um futuro promissor. Nosso desejo é auxiliar na humanização, sem a perda do intelecto e dos talentos pessoais.”


Os pilares:

Pesquisa científica - conduzida aos professores e dos professores aos alunos, a cidade realizou a Feira de Ciências e Tecnologia do Município de Estância Velha (Fecitec) em 2017.  O evento revelou o desenvolvimento intelectual e tecnológico de alunos talentosos que foram classificados para participar em outras feiras regionais, nacionais e internacionais.

Raciocínio lógico – Três escolas já participam das Olimpíadas Regionais Mind Lab/2018 e vão buscar o nível nacional e internacional. A parceria com o Programa Mente Inovadora – Mind Lab, que trabalha o raciocínio lógico com a utilização de jogos, tem como proposta tornar os alunos mais autônomos, responsáveis e realizados, utilizando suas potencialidades para resultados mais imediatos e eficazes.

Leitura - O investimento não se restringe à aquisição de volumes de livros, mas na leitura “de mundo”. Saídas de campo, pesquisas tecnológicas e aulas de educação ambiental fazem a diferença para a formação de opinião, da criatividade e da cidadania. Além disso, a Feira do Livro é o evento de maior dimensão dentro da educação.

 

Meta é o aproveitamento real

A melhoria da qualidade, com crescimento pessoal e foco no aumento das notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Ministério da Educação, é incessante. “Estamos acima do índice nos anos iniciais, com nota 6.3, e os anos finais gradativamente em ampliação, registrando 5.1. A meta da Secretaria de Educação é retrair a defasagem educacional fazendo com que o aluno tenha aproveitamento real”, relata a secretária Marly Arigony.

Com este propósito, projetos e parcerias vão ganhando novos contornos. Exemplo é o projeto Robótica, que desafia e movimenta a rotina dos alunos. A Semec adquiriu o material e a Universidade Feevale ofertou acadêmicos, assessoria e professor-mediador para coordenar os encontros e práticas.

Já o Núcleo de Atendimento às Necessidades Especiais trilhou seus primeiros passos no ano passado. O Núcleo, que funciona em espaço próprio e é extensivo às escolas, conta com psicóloga, assistente social, orientadora educacional e psicopedagoga.

  

Educação e Cultura afinadas com o aluno

Segundo Marly Arigony, a Secretaria de Educação também é responsável pela Cultura no município. A afinidade das duas áreas permite uma aproximação maior com os alunos, que podem, no contraturno escolar, frequentar oficinas de experimento em artes, dança gaúcha, balé, teatro, flauta, violão, cinema e dança alemã no Espaço Cultural Municipal.

A rede municipal de ensino de Estância Velha conta com 25 escolas (12 de educação infantil e 13 de ensino fundamental) e agrega o Espaço Cultural Municipal, duas bibliotecas públicas, o Centro de Educação Ambiental - Estação Ecologia e o Lar Municipal. Ao todo, são 7.140 alunos, atendidos por 404 professores, 80 profissionais nas equipes gestoras (diretores, vice-diretores e coordenadores), 11 secretários de escola e cinco profissionais no Núcleo de Atendimento Educacional.

GALERIA
Publicado em 05.02.2018 às 10:11

Exemplos apontam rotas para mudar

Embora o quadro da educação se apresente abaixo do desejado, boas práticas educacionais mostram que é possível alcançar resultados mais favoráveis. Com a análise das diferentes situações e suas interações pretende-se a construção da eficiência do ensino e, consequentemente, alcançar as metas preconizadas pelo Ministério da Educação (MEC). Com esta expectativa de contribuir para indicadores satisfatórios, o projeto Educação em 1o Lugar, realizado pelo Instituto São Leopoldo 2024 e Grupo Sinos, quer destacar modelos pedagógicos de sucesso.


Para identificar os municípios líderes dos quatro Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) que representam os 52 municípios do escopo da ação, foram definidos dois critérios. O primeiro é o “cumprimento das metas” do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015 nas séries iniciais e finais. O segundo se refere à soma das duas avaliações para gerar o valor da comparação. Seguindo esta lógica, Campo Bom, Harmonia, Santa Maria do Herval e Nova Petrópolis estão no pódio de cada região, com médias que vão de 6 a 6,35.


ENGAJAMENTO - São experiências bem-sucedidas que poderão criar alternativas capazes de uma transformação em larga escala do acesso à educação de referência. Com um longo percurso – até o final de 2024 –, a evolução dependerá do engajamento da sociedade e de seus líderes locais. Deflagrado em janeiro deste ano, o Educação em 1o Lugar, que integra o Bicentenário da Imigração Alemã, pretende instigar a melhoria contínua da qualidade do ensino e resgatar a valorização dos professores.


Acesse:

www.isl2024.org.br

educacaoemprimeirolugar.com.br


Fabiano de Campos Silva / Secretrário de Educação de Harmonia


Educar para ter comprometimento


Com 100% de taxa de escolarização, o que rendeu a primeira posição entre 5.570 cidades do Brasil, o município de Harmonia também está no topo da média dos anos iniciais e finais, com 6,35. Resultado de um trabalho para despertar nos estudantes a humanização e o crescimento em grupo, e que se soma à qualificação do corpo docente. “A escola é conectada com a realidade, formando cidadãos comprometidos com suas comunidades”, afirma o secretário de Educação, Fabiano de Campos Silva. Com quase 1.000 alunos da educação infantil ao ensino médio, não são poupados esforços para integrar a comunidade escolar. “Todos os alunos das redes municipal e estadual têm acompanhamento nutricional, odontológico e psicológico”, explica Silva. E projetos não faltam para estimular o vivenciar em grupo. Música, dança, capoeira, artesanato, informática e inglês são algumas das atividades que fazem parte da rotina de 120 alunos, do 1o ao 5o ano. “Queremos estender estes projetos.”


Elísio Adalberto Blume / Secretário de Educação e Cultura de Santa Maria do Herval

        
Desempenho depende de envolvimento


Falar sobre a educação exige a menção de vários aspectos. Baixa rotatividade dos professores, participação das famílias na vida escolar e o trabalho das equipes diretivas, que primam pela qualidade na gestão administrativa e pedagógica. Com uma média geral de 6,25, o resultado não poderia ser outro no município de Santa Maria do Herval: alunos que gostam de ir à escola e têm ótimo desempenho. Tudo começa pela educação infantil, um trabalho sério que beneficia os alunos mais tarde no ensino fundamental. Nesta busca de qualidade, vários projetos estão em andamento. Um deles é o Além da Sala de Aula, voltado a alunos do 1o ao 5o ano do ensino fundamental e que será expandido ao 6o e 7o ano. Atividades recreativas e de reforço escolar também fazem a diferença nas escolas. Nesta linha de estímulos, a leitura estará no alvo de 300 alunos da educação infantil, 500 do ensino fundamental e 160 do ensino médio em 2018.


Simone Daise Schneider / Secretária Municipal de Educação e Cultura de Campo Bom


Projetos com visão empreendedora


Das 20 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs) em Campo Bom, 14 têm atividades esportivas, culturais e pedagógicas no contraturno e 6 são em turno integral. Este é apenas um dos diferenciais. O município, com média de 6,25, está preocupado com o amanhã, com o mercado de trabalho. Pensando nisso, criou projetos inovadores e que trabalham o empreendedorismo. Exemplo é o De Olho no Futuro, que contempla alunos de 6o ao 9o ano. “Em parceria com o Sebrae, Senai, Feevale e Sindicato dos Sapateiros, os alunos fazem oficinas, workshops e visitas técnicas”, conta a secretária de Educação e Cultura, Simone Daise Schneider. Se a qualificação é a chave, antes desta abertura de portas alguns precisam eliminar as dificuldades de aprendizagem. Lacuna preenchida com o Despertar, projeto que complementa o processo de leitura e de escrita do 4o ao 7o ano. Outras ações são as aulas de inglês no currículo escolar do 1o ao 5o ano e para o 9o ano no contraturno escolar. A rede municipal de Campo Bom tem 43 escolas, 6 Centros Educacionais, totalizando 9.279 alunos.


Ricardo Lawrenz / Secretário de Educação, Cultura e Desporto de Nova Petrópolis


Aluno precisa ser desafiado em aula


Em Nova Petrópolis, o crescimento e o avanço qualitativo na educação ganham força porque os trabalhos são compartilhados entre as diversas redes de ensino, uma vez que todos têm direito a uma boa educação. Na rede municipal, a formação é pautada no olhar sobre quais inovações são necessárias para atender o aluno de hoje. Entre as atividades estão o Autor na Escola, Escritores do Amanhã, Salão de Artes Plásticas, Prefeito por Um Dia, Festival de Música, Polos Esportivos. “Neste ano, iremos para o IV Seminário Nossas Aprendizagens: Escola e Pesquisa – Um Encontro Possível, projeto vinculado à rede internacional Nepso (Nossa Escola Pesquisa sua Opinião) e que permitiu intercâmbio com Portugal no ano passado”, relata Ricardo Lawrenz, secretário de Educação, Cultura e Desporto de Nova Petrópolis. Com o foco de desafiar o aluno em sala de aula, empreendedorismo, design, tecnologias digitais, pensamento computacional e inclusão serão prioridades em 2018. Com mais de 4 mil alunos, Nova Petrópolis registra média 6 na soma anos iniciais e finais.